Damas e Pajens, inspirem e suspirem!

Ninguém resiste aos encantos e doçuras das damas e dos pajens, não é mesmo? Quem nunca emitiu aquele som doce ao vê-los? Falo de suspiros, tudo é muito gracioso e não nos contemos, tem sempre alguém demonstrando com um sorriso ao vê-los adentrar.
A participação deles representa a inocência do amor, o amor puro, na sua essência.
É uma tradição bem antiga que vem evoluindo e se modificando através dos tempos.
Origens? Existem algumas. Uma delas afirma ser vinda da idade média. As crianças vestiam suas melhores roupas e corriam pelo vilarejo, colhendo flores e anunciando a chegada dos noivos e entravam na frente de todos. Outra versão era de que as Daminhas vestiam-se iguais as noivas a fim de fazer os maus espíritos confusos e não se aproximarem, a intenção era proteger os noivos. E existem outras e outras versões sobre as origens.

Seguem alguns pontos que se deve observar:

Escolho quantas crianças?
Não existem limites para o número de damas e pajens, mas deve haver o bom senso.
E quanto a idade?
Não existe uma idade certa. As muito pequenas exigirão mais dos pais, parentes ou cerimonial.
E para convidar, como devo proceder?
Não existem protocolos para isso. Fica a gosto, só acho importante que o convite seja feito presencial aos pais e depois as crianças. Crianças adoram mimos. Pode abusar de gestos generosos, como dar algo de presente, crianças amam doces, pode ser uma caixinha decorada de pão de mel, ou de brigadeiro ou simplesmente um saquinho de doces e gostosuras.
Quem deve pagar o traje?
O ideal é que sejam os noivos, mas podem combinar e os próprios pais pagarem. Isso não é deselegante, mas lembre-se que se não for os noivos a pagarem, não se deve exigir a ponto de encarecer o valor da roupa.
Que roupa usar?

Isso depende do porte do casamento, se for de dia ou de noite, na igreja ou no campo, o horário. Por favor, a roupa tem que ser confortável, nada de tecidos que pinicam, roupas justas, sapatos que apertam, pensem que crianças fazem só o que querem quanto mais a vontade e confortável elas estiverem, mais a entrada será um sucesso.

Elas costumam levaralianças, flores, plaquinhas com frases inspiradoras (placas leves e pequenas), bíblia (se for usada na cerimônia tem que entrar logo no começo). E que tal colocar alguma música infantil na hora da entrada delas? Pode ser música de filmes.
Para garantir que façam tudo certinho, aconselho que façam ensaios. Ensaios rápidos e somente com elas e a noiva. Quanto mais tempo demorar o ensaio, mais elas se dispersarão.
Espero que tenha ajudado!

Cal

Foto: Renato Zaar

Foto: Allan Kaiser

Foto: Vicente Barros

Foto: Beto Nascimento

Foto: Allan Kaiser

Foto: Allan Kaiser

Foto: Wilson Jr.

Foto: Anderson Oliveira

Foto: Allan Kaiser

Foto: Images of Love

 

Ficha Técnica:
Espaço: Casa Park, Murano
Fotógrafos: Renato Zaar, Allan Kaiser, Vicente Barros, Beto Nascimento, Wilson Jr., Anderson Oliveira, Images of Love.

Mini weddings: Quando o menos é mais!

Sou uma defensora dos Mini Weddings por um único motivo: Gosto de gente, de pessoas, de turmas!
Contraditório, né?
É que estas cerimônias estimulam justamente isso. Por ser um evento mais restrito, mais reservado, é comum que a maioria dos convidados se conheçam, tornando assim a festa até mais divertida. Sem contar que é muito mais prazeroso compartilhar esses momentos com seus familiares e os amigos mais próximos, concorda?

Mas não se iluda achando que, por ser uma proposta menor, você precisará de menos tempo para a organização e preparação do evento. O Mini Wedding precisa de tudo que um casamento maior exige. E digo mais, se quiser que tudo aconteça sem correrias, comece a planejar com um ano de antecedência, como qualquer outro casamento.

O Mini Wedding é a opção perfeita para quem procura algo mais íntimo, mas nem sempre é a mais econômica.

Como assim?
Explico. Por ter um número reduzido de convidados, muitas noivas investem mais em qualidade, tornando assim o casamento nem tão econômico como se imaginava. Mas não desanime! Já vi Mini Weddings belíssimos ao optarem por uma decor DIY. E Para quem não sabe, DIY é a tradução de “faça você mesma”.
A opção por um Mini Wedding vem crescendo muito no Brasil, muito provavelmente pelas facilidades que as redes sociais proporcionam, pois te dão acesso a estas cerimônias que já existem há muitos anos fora do Brasil. Acredita-se que o destination weddings, que são cerimônias realizadas fora da cidade onde moramos, podendo ser no Brasil ou até mesmo no exterior, ajudaram também a propagar esta “nova opção”.

Mas voltando aos Mini Weddings, veja como planejar a sua: LISTA DE CONVIDADOS: No máximo 100. Comece fazendo a sua lista pelos familiares mais próximos, aqueles que você realmente tem contato, e depois os amigos indispensáveis, aqueles que fazem parte de seu dia a dia. Dessa forma, conseguirá chegar aos 100 convidados. “Ah, minha lista chegou a 110 e agora?”. Não tem o menor problema. Você ainda está organizando um Mini Wedding. Passando desse número, você já estará saindo da proposta.

ORGANIZAÇÃO: Preocupações iguais a qualquer outro casamento, proporcionalmente menores, já que a lista de convidados é mais reduzida.

LOCAL: Terá mais opções, afinal de contas você precisará de um espaço menor. Sendo assim, você abrirá um leque de possibilidades, seja numa cobertura, uma chácara (se preferir algo no campo), ou até numa casa de praia.
.
DECOR: Uma boa oportunidade de se optar pelo DIY. Vasinhos com cordas, pompons de tulê, potes de vidros decorados, mural de fotos e recados, cantinho de “quando tudo começou”, anel de guardanapo e etc…

BUFFET: Por ser um evento com menos convidados, o cardápio pode ser mais bem elaborado, com um menu especial e variedades de bebidas.

FOTOS: É possível ter fotos com todos, ou quase todos os convidados, e seu vídeo poderá ser muito mais caprichado.

MÚSICA: Pode ser até aquele seu amigo que tenha uma banda, ou que seja um DJ. Como todos seriam próximos, tenho certeza que não faltaria animação.

Enfim, se você sonha com um casamento mais personalizado, que realmente tenha o seu toque, mais reservado sem perder a animação, a solução é o Mini Wedding.

Você não quer passar a metade da festa cumprimentando seus convidados, não é mesmo?

Espero ter ajudado e até a próxima!

Cal

Foto: Beto Nascimento

Foto: Beto Nascimento

Foto: Lusival Junior

Foto: Lusival Junior

Foto: Images of love

Foto: Images of love

Foto: Images of love

Foto: Allan Kaiser

Foto: Allan Kaiser

 

Ficha Técnica:
Fotógrafos: Beto Nascimento, Lusival Junior, Images of love, Allan Kaiser
Espaço: Casa Park Home Restrô

 

 

O papel do Cerimonialista.

Hoje resolvi falar de anjos da guarda. Não, não! Não me refiro aqueles anjos de asinhas, para quem pedimos proteção. Me refiro mesmo aos Cerimonalistas!
Pensem! O grande dia será corrido para os noivos, e organizar um casamento não é uma tarefa fácil. Lembre-se que você terá milhares de coisas para se preocupar: convites, local, buffet, entre outras coisas. Não seria melhor se ater aos detalhes, gostos e poder ir curtindo cada checklist cumprido? É nesse momento que os anjos da guarda entram, ou melhor, os cerimonialistas. Eles irão dar o sossego que os noivos precisam, vão determinar as diretrizes. Eles planejam, organizam e coordenam todos os detalhes. Irão reger para que tudo saia de uma forma impecável.

Você tem duas opções:

Assessoria completa –  vai desde a pré-produção, produção e pós-produção. A fase da pré-produção engloba uma lista extensa de serviços: levantamento de preços, escolha do espaço, a decor, fornecedores e etc…
A fase de produção é quando o casamento está acontecendo: recepcionar, cerimônia/cortejo, buquê, ou seja, a festa como um todo.
A fase pós-produção é a parte na minha opinião a mais chata e cansativa: desmontar, guardar, retirar, devolver e etc.

Assessoria do dia
 – neste caso presta-se o serviço somente no dia do casamento. Deixe bem claro quais serviços serão prestados: recepcionar, distribuir as lembranças, acomodar, entre outras responsabilidades.

Na verdade, o cerimonialista é um mediador, um facilitador, pois só assim será possível zelar pelo perfeito andamento do grande dia.
Como vimos, é quase indispensável a contratação de um cerimonialista, por isso é importante a escolha de um bom profissional. Faça uma pesquisa antes, para que acerte na escolha de um profissional gabaritado e comprometido.
Não esqueça que seu casamento será um momento único e por isso muito especial. Não coloque em risco esse dia.
Até nosso próximo papo!

Cal

Foto: Vicente Barros

Foto: Wilson Jr.

Foto: Guilherme Calazans

Foto: Junior Miranda

Ficha técnica:
Cerimonial: Vestida para casar
Espaço: Casa Park
Fotógrafos: Vicente Barros, Guilherme Calazans, Junior Miranda, Wilson Jr.